SOBRE A PUBLICAÇÃO



PROPOSTA EDITORIAL

Objetivos

Novos Debates é uma publicação bimestral da Associação Brasileira de Antropologia voltada a pesquisadores de todos os níveis de formação, desde a graduação até pesquisadores sênior. Ela busca ser um periódico de divulgação dinâmica de pesquisas em andamento e recentemente concluídas no Brasil, mas também com uma abertura importante a trabalhos desenvolvidos em outros países. Ao mesmo tempo, Novos Debates apresenta-se como um espaço crítico de discussão de questões teóricas, metodológicas e políticas contemporâneas caras à disciplina e aos grupos com os quais trabalhamos em nossas pesquisas. Finalmente, Novos Debates toma para si o desafio de repensar a prática editorial acadêmica, buscando novos formatos no contexto das publicações eletrônicas.

Formato

Novos Debates publica textos curtos com o intuito de conferir maior dinâmica à circulação de pesquisas em andamento e debates em voga. Com efeito, essa característica apresenta-se como uma peculiaridade importante desta publicação, que une aspectos comuns a periódicos de divulgação científica com o espírito crítico e rigoroso próprio às publicações acadêmicas tradicionais. Ao mesmo tempo, buscando uma inovação atualmente necessária no plano editorial acadêmico, publicamos através da sessão Composições (apresentada abaixo) ensaios fotográficos e vídeos etnográficos ou documentários realizados no contexto de pesquisas antropológicas. Essa aposta responde à demanda crescente de espaços formais de difusão de uma grande produção audiovisual antropológica. Cabe mencionar que o formato adotado por Novos Debates é inspirado em outros periódicos de diversas partes do mundo, que também investem em textos curtos, novas mídias ou seções de debate de modo mais participativo, tais como: Economic and Political WeeklySeminar (ambas da Índia), Global Dialogue (newsletter da International Sociological Association) e Anthropology News e American Anthropologist (ambas ligadas à American Anthropological Association).

Periodicidade

Bimestral

POLÍTICA DE SEÇÃO

Novos Debates propõe-se à experimentação de novos formatos de publicação. As seções da revista visam, portanto, a contribuir com a dinamização de discussões candentes, apagadas ou ainda por vir. Por esta razão, a revista guarda em si a vocação à eventual criação de novas seções adaptadas a estes propósitos. As seções abaixo constituem o núcleo original de organização da publicação.

Novas Pesquisas

Esta sessão é destinada à publicação de pesquisas em curso ou finalizadas recentemente, desde a graduação até o doutorado, com chamada específica a cada novo número.  Propõe a apresentação sintética dos objetivos, questões, metodologia e conclusões da pesquisa em questão. Cumpre o papel de divulgação ampla e dinâmica de pesquisas ainda em desenvolvimento.

Fórum

Apresenta-se como um espaço de debate de questões teóricas, metodológicas e políticas centrais para a reflexão e prática antropológica contemporânea cujo enfoque tem um problema ou tema a ser debatido por todos/as colaboradores convidados/as. Ela abre-se tanto para problemáticas propriamente epistemológicas ou teóricas que atravessam grande parte das pesquisas antropológicas de hoje, quanto para discussões sobre o cenário político e social, ou ainda aos desafios relacionados à prática antropológica no século XXI. Esta sessão é organizada por editores/as convidados/as, que por sua vez organizam um debate em torno de um tema ou “problema” sugerido. Assim, ela difere-se da seção Novas Pesquisas, por ser um espaço de debate de questões específicas, mesmo que a partir das pesquisas individuais dos pesquisadores convidados. Ela também não se caracteriza como um dossiê temático, por buscar ser antes um fórum de debate. Nesse sentido, e a fim de explorar os recursos eletrônicos disponíveis, propomos que os/as leitores/as enviem também contribuições para o Fórum, após sua publicação. Entendemos que essa possibilidade é uma ferramenta poderosa para o fomento de discussões entre jovens pesquisadores/as e também para mostrar o “estado da arte” de certos temas e problemas antropológicos, com contribuições contemporâneas de pesquisadores que estão atualmente dedicados a pesquisar tais temáticas.

Composições

Trata-se de uma sessão destinada à divulgação de trabalhos de antropologia visual. Recebe vídeos, ensaios fotográficos e, eventualmente, outros formatos a serem propostos e que sejam de potencial interesse à pesquisa antropológica. Por um lado,  cumpre um papel importante de publicação de trabalhos audiovisuais, cada vez mais abundantes, de qualidade e potencial heurístico para a reflexão antropológica; por outro lado, representa um avanço editorial importante de incorporação de novos formatos e linguagens em tempos de consolidação de publicações eletrônicas. A sessão recebe contribuições através de chamadas públicas a cada número.

Opinião

Esta sessão emerge como um espaço central de Novos Debates. Como essa publicação pretende ser um meio de divulgação e de debate de novas problemáticas, abordagens e articulações, a seção Opinião é imprescindível. Nela, são publicados textos de caráter mais ensaístico e que aportem críticas e atualizações de questões caras ao debate teórico, epistemológico e de organização política da disciplina. Evidentemente, observam-se aqui os parâmetros da escrita acadêmica e da ética em pesquisa, apesar de apresentar textos de caráter mais autoral.

Resenhas

Seguindo a composição de grande parte das revistas acadêmicas em ciências humanas, Novos Debates conta com uma sessão de resenhas aberta à apresentação de livros, filmes e exposições de potencial interesse antropológico, por entendemos tratar-se de um formato de texto importante à circulação e crítica acerca da produção antropológica. Mas, ao mesmo tempo em que empregamos esta seção tão tradicional aos periódicos de nossa área, realizamos uma abertura menos comum à discussão de outros tipo de obras, tais como filmes e exposições.

SUBMISSÕES

Diretrizes para autores

Novos Debates realiza chamadas de artigos com prazos definidos. Não recebemos artigos em fluxo contínuo. Toda contribuição recebida será analisada pelo seu Conselho Editorial e pareceristas ad hoc, que emitirão parecer favorável ou contrário à publicação. 

As contribuições devem atender rigorosamente às normas descritas abaixo

  1. As contribuições devem ser enviadas ao endereço novosdebates@gmail.com dentro dos prazos estipulados
  2. Aceitaremos textos em português, espanhol, inglês e francês.
  3. A mensagem de submissão deve indicar no assunto a seção para a qual a contribuição está sendo submetida.
  4. Novos Debates está aberta a contribuições de outras disciplinas além da antropologia, desde que os trabalhos apresentem potencial interesse à comunidade antropológica.
  5. As normas para publicação são as seguintes: Fonte: Times New Roman 12; Espaçamento: 1,5; Margens: 2,5 (acima e abaixo) por 3,0 (laterais). A extensão dos textos é de 9 mil caracteres (contando os espaços e sem contar as referências bibliográficas) para a seção Novas Pesquisas e Resenhas, e máximo de 20 mil caracteres para as entrevistas (contando os espaços).
  6. O uso de imagens e outros recursos (vídeos, desenhos, sons, etc) é estimulado.
  7. A formatação das referências bibliográficas deverá seguir as normas da revista Vibrant. Sublinhamos que a perfeita adequação da formatação das referências será especialmente observada para a avaliação dos trabalhos recebidos.
  8. Os arquivos de texto devem estar em formato Word (extensões “.doc” ou “.docx”) e devem comportar o nome completo, filiação institucional, bolsa de pesquisa (se for o caso), e-mail e link para o Currículo Lattes.

Declaração de direitos autorais

Clique aqui para o modelo de Declaração de Direitos Autorais.

CORPO EDITORIAL

Editores Gerais

Estevão Rafael Fernandes – Universidade Federal de Rondônia
Mariane da Silva Pisani – Universidade do Tocantins
Vinicius Kauê Ferreira – Universidade Federal do Rio de Janeiro

Conselho Editorial

Camilo Braz (UFG)
Carmen Silva Rial (UFSC)
Eliane Cantarino O’Dwyer (UFF)
Deise Montardo (UFAM)
Jean Segata (UFRGS)
Marcelo Mello (UFBA)
Manuela Cordeiro (UFRR)
Martina Ahlert (UFMA)